Nossa história

    Professor Simão Amorim Durando

    Homem simples, amigo solícito em todas as horas, o professor que um dia escreveria seu nome na História de Petrolina em letras maiúsculas... Nunca a educação mereceu tanto por parte de um governante. Na sua sensibilidade de mestre, conhecimento maior das causas que atrofiam nosso ensino. Foram as sementes plantadas de bons frutos, por um bom fruto. Aqueles que foram seus discípulos o enaltecem em todos os momentos. Sabemos que um povo sem cultura é um povo sem raízes, e SIMÃO DURANDO fez da nossa cultura a sua bandeira de luta. SIMÃO DURANDO foi eleito, pelo coração do povo, para ser perfeito mestre da nossa PETROLINA!

    Dados Biográficos

    Simão Amorim Durando, natural de Afrânio (então distrito de Petrolina), nascido em 5 de janeiro de 1936. Filho de Miguel de Lima Durando e Floriana Maria de Amorim Durando. Casado com Josefa Rosalina Rodrigues Durando, com quem teve oito filhos. Dedicou-se de corpo e alma a esta cidade, não apenas enquanto prefeito. Sua gestão valorizou a educação e a cultura nas suas mais diversas linguagens.

    Vivência dentro da comunidade

    • Professor leigo em Afrânio (aos 14 anos de idade).
    • 1955 – Passa a residir em Petrolina, assumindo o cargo de auxiliar da firma J. Ferreira e Cia. (Casa de Barracão).
    • 1956 a 1958 – Encarregado e balconista do Armazém do Porto. Esse Armazém funcionava onde hoje é a Farmácia Modelo. Da Exportadora Coelho, José Coelho observava aquele rapazinho que com tanta responsabilidade e competência se incumbia sozinho do Armazém, uma vez que seu proprietário (Anderson Porto), viajava muito, depositava-lhe total confiança. Seu José Coelho, convidou-o então para trabalhar na Exportadora Coelho, com uma proposta melhor. Então, ele foi auxiliar de escritório e, em seguida, com a implantação da Mercedez Benz (ligada à Exportadora Coelho), subgerente de vendas e gerente administrativo até 1973. Nesse ínterim, foi prefeito.
    • 1969  a 1972 – Prefeito Municipal de Petrolina.
    • 1973 – Faz total opção e se dedica completamente ao magistério (deixa a Exportadora Coelho), através de contrato com a Secretaria de Educação de Pernambuco e passa a ministrar aulas nos Cursos Técnicos de Administração e Secretariado no Ginásio Evangélico Polivalente de Petrolina (hoje, Escola Eduardo Coelho).
    • 1974 – Assume a Direção do Ginásio Evangélico Polivalente, permanecendo nessa função até 1981, já Escola Alfa Polivalente de Petrolina.
    • 1976 – Elege-se Vereador (Presidente da Câmara) por Petrolina.
    • 1981 – Assume o cargo de Agente da Previdência Social em Petrolina, ao mesmo tempo em que no turno da noite exercia a função de orientador dos cursos profissionalizantes da Escola Eduardo Coelho.
    • 1981 – Descompatibiliza-se da função de Agente Previdenciário, para candidatar-se a Vice-Prefeito de Petrolina (ao lado de Dr. Augusto de Souza Coelho), continuando nessa função até 1988.
    • 1982  – Vice-Prefeito de Petrolina.
    • 1986 – Assume a Direção do SESI/Petrolina, até o dia do seu falecimento, em 17 de junho de 1993.

    Atuação Social

    •Tesoureiro, Diretor Social e Presidente do Petrolina Clube ( reeleito em todos os cargos ).

    •Presidente da Fundação Educacional Eduardo Coelho ( FEEC ).

    •Presidente da Sociedade “Amigos da Biblioteca”, pelo Instituto Nacional do Livro.

    •Presidente do “Grupo de Trabalho”, criado pela Secretaria de Educação de Pernambuco, para leitura e interpretação da Lei 5692/81.

    •Presidente da “Comissão de Recepção” das festividades de posse do 5° Bispo de Petrolina, D. Geraldo de Andrade Ponte.

    •Membro do Diretório da Arena/Petrolina.

    •Idealizador, organizador e realizador de diversos eventos cívicos, culturais e religiosos (vindas de autoridades à região) – inaugurações de diversas obras públicas – exposições de artes plásticas – acontecimentos literários e musicais –, inúmeras sessões solenes em homenagem a filhos ilustres de Petrolina, momentos de rara beleza poética, que tanto marcaram a história de nossa terra.

    •Cronista do Jornal “O Farol” (crônicas de suas vivências, do seu cotidiano).

    Professor Simão Amorim Durando

    Destaque Lítero-Cultural da Revista “Com Você – Crônicas Sociais”. Orador de Turmas (1° grau do ginásio de Juazeiro e de sua conclusão de curso superior).

    Fruto de sua aguçada sensibilidade e amor à arte, promoveu momentos inesquecíveis tais como: desfile de fantasias premiadas do Baile Municipal do Rio de Janeiro para a sociedade petrolinense, shows com seus ídolos musicais (Carmem Costa, Marlene, Nora Ney, Doris Monteiro, etc.), e dentro de sua visão de vanguarda tornou conhecida a Bossa Nova em Petrolina, concursos de Miss Petrolina e festas de debutantes, etc.

    Ação Política – Realizações

    • Construiu o Ginásio Evangélico Polivalente de Petrolina, hoje Escola Eduardo Coelho.
    • Iniciou o processo de substituição de professores leigos do Município por professores habilitados, oportunizando àqueles a sua profissionalização.
    • Criou incentivos fiscais para os comerciantes da arte, valorizando o artista local e descobrindo novos talentos.
    • Revitalizou grupos folclóricos.
    • Restaurou o prédio do primeiro açougue de Petrolina e o transformou em Atelier Municipal, destinando-o ao trabalho dos artesãos e exposições de arte.
    • Implantou com a colaboração de alguns municípios os Jogos Escolares de Petrolina.
    • Administrou a construção do Centro Interescolar de Educação Física (o governo de Dr. Nilo de Souza Coelho).
    • Ampliou, arborizou e iluminou o cemitério local.
    • Incentivou e reativou o carnaval de Petrolina, patrocinando as batucadas e instituindo concursos.
    • Realizou a primeira exposição coletiva de artes plásticas com artistas regionais.
    • Administrou a construção dos prédios da Faculdade de Formação de Professores, primeiro Terminal Rodoviário de Petrolina, o primeiro Pronto-Socorro, escolas na zona urbana e rural.
    • Transferência da favela de “Vila Garrancho” para o loteamento próprio na Vila Eduardo.
    • Construção da Praça Souza Filho, com a implantação de barzinho ao ar livre. Hoje, Bambuzinho Bar.
    • Criou a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, cujo primeiro Secretário é o professor Elias Gabriel da Silva.
    • Criou o Coral Municipal.
    • Realizou a primeira Jecana do Brasil – corrida de jegues, apoiando por completo a idéia do radialista Carlos Augusto de Amariz Gomes.
    • Construiu a primeira usina de lixo.
    • Reinstalou a Sementeira Municipal (criada por Dr. Pacífico da Luz, mas praticamente desativada).
    • Iluminou a Ponte Presidente Dutra (trecho do continente até a Ilha do Fogo).
    • Criou a bandeira de Petrolina. Realizou Concurso público no Recife, através da FIAM, para a criação da bandeira. O concurso foi aberto em 09.09.70, sendo alguns do Recife e Olinda. O vencedor foi Armindo Maia, baiano de Campo Formoso, residente em Petrolina, proprietário da Farmácia Maia; este inspirou-se no texto do discurso de posse do governador de Pernambuco, Dr. Nilo Coelho: “Remando ou varejando, não importa, sangre o peito: saberemos lutar.”
    • A Bandeira de Petrolina foi oficializada pelo decreto n° 09. de 26.03.71, e hasteada e desfraldada aos ventos deste sertão em 1° de maio de 1972.
    • Construiu e inaugurou a moderna Concha Acústica, junto à Catedral. A solenidade de inauguração foi abrilhantada pela presença e voz do Cardeal Vilela, Arcebispo Primaz do Brasil e do governador de Pernambuco, Dr. Nilo de Souza Coelho.